Buscar
  • Equipe Odontopediatra Dra. Eliane Garcia

A SAÚDE BUCAL E OS FATORES GENÉTICOS


A saúde, assim como alguns problemas e doenças bucais podem ter origem genética.

Muitas vezes, os problemas se desenvolvem devido a fatores ambientais, por exemplo: os pais não mantêm uma boa higiene bucal, logo não passarão bons hábitos aos filhos e a tendência é que esta situação se repita nas outras gerações seguintes. Da mesma forma, bons hábitos geralmente são reproduzidos e favorecem a boa saúde.

Podemos citar alguns problemas que costumam estar relacionados à genética:

MALFORMAÇÕES

Malformações dentárias, como micro e macrodontia (dentes muito pequenos ou muito grandes), hipodontia ou agenesia (ausência congênita de dentes) e dentes supranumerários (dentes “extras”) são causadas por fatores genéticos. Vale ressaltar que eles podem ser causados por alguns hábitos, como a ingestão de alguns medicamentos durante a gravidez.

DESALINHAMENTO DOS DENTES

A genética exerce um papel importante na formação dos dentes, tamanho, espaçamento e disposição. Se um dos pais teve uma mordida cruzada, por exemplo, pode ser que seu filho desenvolva a mesma tendência.

GENGIVITE E CÁRIE

Existe pré-disposição a estes males também! Cerca de 30% da população tem uma predisposição genética para doenças periodontais, tanto gengiva sensível, e que sangra com facilidade, quanto inflamações recorrentes. Pessoas que durante a adolescência e início da fase adulta enfrentaram muitos casos de cárie devem cuidar para que seus filhos recebam cuidados especiais desde cedo, como selantes e tratamentos à base de flúor.

CÂNCER BUCAL

Quem teve um parente direto, como pai ou mãe, que enfrentou um câncer de boca, deve se submeter a um checkup odontológico periodicamente. A prevenção, neste caso, é a indispensável para garantir uma vida saudável.

FISSURA LABIAL E FENDA PALATINA

A fissura labial e a fenda palatina, conhecidas popularmente como lábio leporino são malformações congênitas que ocorrem durante o desenvolvimento do embrião. Trata-se de uma abertura que começa sempre na lateral do lábio superior, dividindo-o em dois segmentos. Essa falha no fechamento das estruturas pode restringir-se ao lábio ou estender-se até o sulco entre os dentes incisivo lateral e canino, atingir a gengiva, o maxilar superior e alcançar o nariz.

Na fenda palatina, a abertura pode atingir todo o céu da boca e a base do nariz, estabelecendo comunicação direta entre um e outro.

Além da origem genética, outros fatores de risco podem estar envolvidos na sua manifestação: deficiências nutricionais e algumas doenças maternas durante a gestação, radiação, certos medicamentos, álcool e fumo.

Fica a Dica:

Consulte o seu Odontopediatra desde o primeiro de dentinho, e siga as orientações e as solicitações de exames complementares para o diagnóstico preventivo.

Faça a higienização bucal do seu filho com atenção!

#genética

51 visualizações0 comentário