top of page
Buscar
  • Foto do escritorEquipe Dra. Eliane Garcia

Células tronco de dentes decíduos. Conheça as vantagens, quando colher e as doenças nas quais podem ser utilizadas



A coleta de células-tronco de dentes decíduos, também conhecidos como dentes de leite, é uma prática promissora no campo da medicina regenerativa. Esses dentes, que naturalmente caem durante a infância para dar lugar aos dentes permanentes, possuem uma fonte valiosa de células-tronco mesenquimais. Dentre as várias fontes de células tronco, a polpa do dente de leite destaca-se por fornecer células tronco mesenquimais e biocompatíveis.  Essas células têm a capacidade de se diferenciar em vários tipos de tecidos, incluindo ossos, cartilagem, músculos e nervos, o que as torna extremamente úteis para potenciais tratamentos de diversas doenças e lesões, sendo uma alternativa para futuros tratamentos, não apenas em casos leves, mas na regeneração de tecidos ósseos, musculares e nervosos, mas até em doenças mais complexas, como Alzheimer, autismo, diabetes, infarto, derrame, doenças autoimunes, hepáticas, dentre várias outras patologias mesenquimais.

As células tronco do dente de leite podem ser armazenadas para a segurança de toda a família no futuro.


Processo de Coleta


O processo de coleta é relativamente simples e não invasivo, uma vez que os dentes decíduos são extraídos naturalmente ou podem ser removidos por um Odontopediatra quando estão prestes a cair. Após a extração, os dentes devem ser imediatamente armazenados em um meio de transporte apropriado para manter a viabilidade das células-tronco. Em seguida, os dentes são enviados para um laboratório especializado, onde as células-tronco são isoladas, cultivadas e armazenadas em condições de criopreservação.


Qual a melhor idade


A coleta de polpa de dente de leite é um processo não invasivo que pode ser feito naturalmente durante o período de troca de dentes entre 5 a 12 anos. Quando o primeiro dente da criança começar a amolecer, é hora de se programar para realizar o armazenamento das células-tronco. O melhor a se fazer é considerar uma conversa com o Odontopediatra já nos primeiros atendimentos da vida da criança, quando os pais receberão diversas orientações de cuidados, inclusive em relação a um possível armazenamento das células-tronco dos dentes. Dessa forma, os pais podem se programar tranquilamente.


Aplicações Potenciais


As células-tronco extraídas de dentes decíduos têm um vasto potencial terapêutico. Pesquisas indicam que essas células podem ser utilizadas no tratamento de doenças como diabetes, lesões da medula espinhal, doenças cardíacas, distúrbios neurológicos, entre outras. Além disso, elas também têm aplicações em engenharia de tecidos, como a regeneração de tecidos ósseos e cartilaginosos, oferecendo novas esperanças para pacientes que necessitam de transplantes ou reparações de tecidos danificados.


Vantagens e Considerações


Uma das principais vantagens da coleta de células-tronco de dentes decíduos é a facilidade e a não invasividade do processo. Além disso, ao contrário de outras fontes de células-tronco, como a medula óssea, a coleta de dentes de leite não envolve riscos ou dor significativa para a criança. Outro benefício é a menor probabilidade de rejeição imunológica em transplantes autólogos, ou seja, quando as células são reintroduzidas no próprio doador.


À medida que a pesquisa avança, é provável que veremos um aumento nas aplicações clínicas dessas células, trazendo novas possibilidades de tratamento e cura para diversas condições médicas.


A Dra. Eliane Garcia realiza a coleta de células-tronco em sua clínica. Entre em contato para saber mais e agendar uma consulta.


12 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page