top of page
Buscar
  • Foto do escritorEquipe Dra. Eliane Garcia

Estratégias para estabelecer um bom relacionamento com pacientes pediátricos.

Estabelecer um relacionamento eficaz com pacientes pediátricos, seja na Odontopediatria ou em qualquer outra especialidade, é crucial para garantir não apenas a eficácia do tratamento, mas também para fornecer uma experiência positiva que influenciará a percepção da criança em relação aos cuidados de saúde ao longo da vida.




É importante que os pais e cuidadores se atentem para que a criança esteja recebendo um atendimento baseado nessas estratégias.


Para isso, apresentamos aqui algumas delas:


Comunicação Clara e Adaptada:

O profissional estabelece uma comunicação adaptada à idade da criança, usando linguagem simples e compreensível, evitando termos médicos complexos e fornecendo informações de maneira positiva. Utilizar recursos visuais, como desenhos ou brinquedos, é importante para explicar procedimentos e condições de forma menos assustadora.


Desenvolvimento de Confiança:

Construir confiança é essencial. O profissional deve iniciar uma interação de maneira amigável, sorrindo e criando um ambiente acolhedor. Demonstrar empatia, ouvir as preocupações da criança e de seus pais, e estar disposto a responder a todas as perguntas, mesmo que pareçam simples.


Envolvimento dos Pais:

Os pais desempenham um papel vital no cuidado da criança. O profissional deve manter uma comunicação aberta e regular com eles, fornecendo informações sobre o tratamento, orientações pré e pós-consulta e incentivando a participação ativa nos cuidados de saúde da criança.


Abordagem Lúdica:

Integrar elementos lúdicos sempre que possível. Usar brinquedos ou jogos para distrair a criança durante exames ou procedimentos, modificando a experiência na consulta ou tratamento em algo mais positivo e menos assustador.


Respeito à Autonomia:

Respeitar a autonomia da criança sempre que possível. Escolhas de incentivo simples, como – no caso do consultório odontopediátrico – deixar a criança escolher a cor de um acessório utilizado no aparelho, o modelo de EPI lúdico que ela deverá utilizar, o sabor de algum possível produto utilizado no tratamento, etc.


Personalização do Atendimento:

Reconhecer e respeitar as individualidades de cada criança. Algumas podem ser mais tímidas, enquanto outras mais extrovertidas. Adaptar o estilo de comunicação e abordagem de acordo com a personalidade da criança, demonstrando sensibilidade às suas necessidades específicas.


Proatividade na Prevenção:

Além do tratamento de doenças, destacar a importância da prevenção e hábitos saudáveis. É imprescindível que o profissional possa transmitir informações às crianças e seus pais sobre boa alimentação, higiene, prática regular de atividades físicas, etc.


Acesso a Recursos de Apoio Psicológico:

Reconhecer a importância da saúde mental na infância. Fornecer recursos para apoio psicológico quando necessário, seja por meio de indicação de psicólogos especializados ou materiais informativos que ajudam a lidar com o estresse associado aos cuidados de saúde.


Estabelecer um relacionamento positivo com pacientes pediátricos envolve uma abordagem que vai além do tratamento clínico. Essas estratégias não apenas facilitam a administração de cuidados médicos, mas também são benéficas para o desenvolvimento saudável e a percepção positiva da criança em relação à saúde e aos profissionais de saúde.


16 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page