Buscar
  • Equipe Dra. Eliane Garcia

DOR DE DENTE NA INFÂNCIA

Atualizado: Fev 4

Ele teve dor porque estava com abcesso por cárie


Dor de dente na criança, quando não relacionada a uma situação de emergência (como trauma) tem sua causa, quase sempre, relacionada à evolução de uma cárie não tratada.


Este quadro está presente, na maioria das vezes, quando existe o mau hábito de consumo excessivo de açúcar e/ou falta de higiene bucal. Lembrando que o açúcar não é só aquele óbvio, presente nos doces, mas também em produtos industrializados aparentemente saudáveis (como leite fermentado) e também em bebidas, como refrigerantes, sucos de caixinha e energéticos.



O paciente da foto relatou dor e recebeu diagnóstico de abcesso por cárie.

Acontece que a evolução da cárie atinge a estrutura interna do dente, composta por nervo e vaso sanguíneo, chamada polpa. Esta estrutura, quando estimulada pela exposição da dentina, lesionada pela ação das bactérias causadoras da cárie, provoca dor. Basicamente, o corpo reage dando início a um processo inflamatório que irá reparar os tecidos que foram agredidos pelo ácido produzido pelas bactérias. Este processo é que leva à dor, que pode se manifestar apenas quando provocada ou mesmo ser espontânea.


Quando a dor é provocada, significa que o dente recebeu algum estímulo para isso, como quando se come algum alimento (geralmente mais ácido) ou mesmo quando se ingere algo gelado. Neste caso, os casos são mais brandos, significando que o processo é mais superficial e a polpa conseguirá se recuperar.


Já quando a dor não precisa de um estímulo, significa que a estrutura foi mais amplamente atingida e o processo inflamatório libera uma grande quantidade de mediadores químicos. Isso pode significar que a polpa poderá não se recuperar e o canal do dente deverá ser tratado.

Portanto, fica fácil entender a necessidade do acompanhamento constante com o Odontopediatra. O cenário ideal é a prevenção. Em um segundo momento, o atendimento precoce, quando a cárie – ou outra causa – será tratada o mais rapidamente possível, preservando as estruturas do dente e a saúde bucal da criança a longo prazo.


Vale salientar que a maneira como a dor acontece é igual nas duas dentições, de leite (decídua) e permanente.


Por fim, nunca espere a criança relatar a dor de dente para procurar atendimento. Lembre-se de manter um cronograma odontológico, com visitas ao dentista a cada 6 meses, pelo menos.


#dordedente #canal

88 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo